Confiança

Tendências / Autenticidade
Vesnaandjic
1159075650
Jacqueline Bourke
nov. 7, 2019
Hoje, a confiança nas marcas está em crise. Consumidores não querem ser associados com uma empresa que acreditam não ser de confiança. De acordo com o 2019 Edelman Trust Barometer, apenas um em três consumidores confiam na maioria das marcas que compram ou usam.

Marcas ao redor do mundo estão tentando estabelecer uma sensação maior de confiança com seus consumidores através de narrativas visuais poderosas. Pesquisas pela palavra‑chave ‘Confiança’ aumentaram em 126% nos últimos 12 meses.

Arquétipos de confiança são vistos em todos os meios de comunicação das marcas. Na Getty Images, nós monitoramos como a confiança e a credibilidade das pessoas evoluem visualmente. Como podemos selecionar pessoas que oferecem uma sensação de confiança? E como as opiniões e sentimentos sobre a confiança estão mudando?
Pesquisas pela palavra‑chave ‘Confiança’ aumentaram em 126% nos últimos 12 meses.
Como parte de uma pesquisa psicométrica global realizada com a ajuda da Nielsen em 182 países e com mais de 82.000 pessoas em cinco idiomas diferentes, perguntamos ‘Quem você mais confia das nossas imagens?'. Os resultados foram esclarecedores. As mulheres têm mais credibilidade do que os homens, e as duas respostas mais escolhidas foram imagens de mulheres na área médica. Esse é um fato merecedor de reconhecimento, já que muitos profissionais da saúde ainda apresentam médicos ou cirurgiões homens com mulheres fazendo parte da equipe de apoio. Quando analisamos os dados mais detalhadamente entre profissão, idade, gênero, localização geográfica e tipos de personalidade, descobrimos que a personalidade de uma pessoa pode influenciar muito mais durante a escolha de uma imagem do que a profissão, gênero, idade e localização geográfica.

Como consequência da crise financeira global de 2008, a confiança dos consumidores em instituições de serviços financeiros ficou totalmente abalada. Para mudar isso, homens usando ternos apareceram novamente conforme as marcas desesperadamente tentavam restaurar a confiança perdida. Vimos homens caucasianos de meia idade próximos a frases como ‘Confie em nós’, ‘Somos sérios’ e ‘Temos muita experiência’. Desde 2010, estamos vendo o retorno de imagens que refletem melhor o mundo que estamos vivendo ‑ com pessoas de ‘verdade’ e o que realmente é importante para elas ‑ e essas tendências são ainda mais importantes no mundo de hoje.
As pessoas querem e esperam que as imagens representem o mundo que elas veem ao seu redor. O que é nítido com a nossa pesquisa é que marcas precisam não apenas serem representativas e ‘reais’ em suas comunicações visuais, mas precisam mostrar confiança. É a jornada completa, desde o modelo, fotógrafo até o consumidor. Se estiver mostrando alguém com uma deficiência, não mostre um modelo fingindo: tem que ser verdade. Além disso, tem que ser uma representação verdadeira através de empatia e experiência.

Marcas precisam focar mais em autenticidade e confiança em suas comunicações. Para estabelecer confiança através de uma narrativa visual, credibilidade e autenticidade são extremamente importantes. Não falsifique a ‘realidade’.
O indivíduo e o coletivo