Nossa vida offline

Tendências / Tecnologia
Malte Mueller
1215979813
Tristen Norman
jun. 2, 2020
Para pessoas de todo o mundo, a tecnologia se tornou o principal elemento de conexão com as coisas que mais importam: famílias, amigos, parceiros, trabalho, hobbies – e tudo mais que você possa imaginar. Podemos fazer planos, compartilhar amor, encontrar comunidade – tudo através dos dispositivos ao nosso redor.

A tecnologia não funciona apenas como um canal de união. Também se tornou uma ferramenta vital para viver no mundo de hoje. Permitindo nossa capacidade de nos mover com serviços como Uber e Lyft, encomendar qualquer coisa, de roupas novas a um kit de teste de DNA, abastecer e aquecer nossas casas, pagar nossas contas e muito mais. Em nossa estudo Visual GPS, descobrimos que 74% dos consumidores dizem que a tecnologia permite que eles monitorem seus objetivos. É seguro dizer que somos incrivelmente dependentes de nossos dispositivos.

Mesmo assim, existe o lado negativo no qual a difusão da tecnologia que está aumentando nos últimos anos.
Vários antigos funcionários que trabalhavam no Vale do Silício expuseram que empresas colocam seus interesses em inovação à frente do bem‑estar das pessoas; descrevendo as inúmeras maneiras pelas quais eles estão projetando aplicativos, algoritmos e dispositivos com o objetivo expresso de mantê‑lo por um período indeterminado.
Nossa pesquisa mostrou que há um número crescente de pessoas preocupadas com o papel da tecnologia em suas vidas, com 41% relatando que alguns de seus relacionamentos foram prejudicados pelo uso da tecnologia.

Recalibrar o nosso relacionamento paradoxal com a tecnologia é complicado. Conforme nos isolamos em nossas casas devido ao COVID‑19, a tecnologia se tornou uma salvação essencial para a continuidade a escola e trabalho, serviços essenciais e para manter nossos relacionamentos. Simultaneamente, artigos estão surgindo em todos os lugares sobre como podemos reduzir o tempo que passamos em frente às telas ou o aumento do cansaço que estamos sentindo. Ano passado no site da Getty Images, pesquisas pelo termo ‘desintoxicação digital’  ficaram muito acima do esperado, com um aumento em 153% em 2019. Esse é um indicador claro de que, como os consumidores estão procurando maneiras de desconectar e o mesmo acontece com nossos clientes.
Ao visualizarmos as maneiras importantes em que somos reunidos pela tecnologia, também devemos visualizar todas as maneiras maravilhosas pelas quais podemos viver sem ela. Vinte anos atrás, uma desintoxicação seria como ficar longe de tudo: aventuras em meio a natureza ou um dia completo em um spa.
Com uma crescente geração de nativos digitais, a abordagem atual de uma desintoxicação digital é um pouco menos drástica.
Seja fazer uma caminhada, pintar, ler ou costurar ou mesmo cozinhar seu próximo prato favorito – podemos centrar nossa realização pessoal e tornar a tecnologia incidental, em vez de uma peça central de nossas vidas. Como a socióloga da MIT disse quando perguntada sobre resolver os nossos problemas com a dependência da tecnologia, “nós não vamos ‘nos livrar’ da Internet.” A tecnologia em nossas vidas veio para ficar. Isso quer dizer que temos que aprender a ter uma convivência mais saudável com ela; fazendo uma pausa muito necessária de vez em quando.
Tecnologia em evolução na era do Covid-19