A mudança para uma economia circular

Tendências / Sustentabilidade
Maskot
626536241
Rebecca Rom-Frank
abr. 28, 2020
Crie, use, descarte. Esse é o mantra da economia linear. Mas, à medida que os consumidores ficam mais preocupados com as mudanças climáticas e a incerteza financeira, as empresas em todo o mundo estão mudando para um modelo de economia circular que é criar, usar, reutilizar e repetir. Se a reciclagem é visualizada como um ciclo, a economia circular é um ciclo infinito.

As empresas com uma estratégia de economia circular não apenas enviam resíduos para uma usina de reciclagem, mas também desenham suas estratégias para manter os recursos em uso. Por exemplo, a Nura vende fones de ouvido modulares como um serviço de assinatura mensal, incluindo reparos e substituições. A Timberland fabrica pneus de automóveis que podem ser reciclados como solas de botas. A plataforma tecnológica DePop usa cores fortes e gráficos minimalistas para atrair os usuários da Geração Z a comprar e vender roupas de estilo vintage. Trocar itens de segunda mão se tornou algo contemporâneo e comum.
Painéis solares e parques eólicos há tempos são ícones visuais de negócios sustentáveis e, embora ainda esperemos vê‑los na publicidade, o escopo das imagens está se expandindo para incluir outros setores além da energia renovável. Nossos clientes querem ver o pequeno empresário com grandes ideias sobre como manter os recursos em uso, e os consumidores em casa que se preocupam com a conservação mais do que nunca. A economia circular não é apenas um modelo de negócios, é uma mudança de mentalidade que afeta todos os aspectos da vida.

Para capturar essa mentalidade, os clientes da Getty Images estão em busca de recursos visuais que ilustrem novos conceitos e cenários. As pesquisas por conceitos de economia circular aumentaram + 201% nos últimos 12 meses. Além disso, pesquisas por “ewaste” (abreviatura de “lixo eletrônico”) aumentou em +319%. E pesquisas para “kintsugi”, a arte japonesa para consertar cerâmica quebrada, aumentou em +200%. Nossos clientes estão se tornando mais informados e criativos sobre quais atividades significam escolhas sustentáveis.
Mesmo nestes tempos de incerteza, o escopo das imagens de sustentabilidade continuará a se expandir.
Ainda assim, a “economia circular” pode ser um novo termo para alguns clientes. Em uma pesquisa de 2018, o banco ING descobriu que 62% dos executivos estão planejando adotar uma estrutura econômica circular em um futuro próximo. Em janeiro de 2020, o CEO da BlackRock anunciou que sua empresa só iria investir em negócios sustentáveis daqui para frente, um divisor de águas para a Wall Street. O setor financeiro finalmente está ouvindo o que os ativistas ambientais vêm gritando há décadas: uma economia sem lixo não é apenas melhor para o meio ambiente, é melhor para os negócios também.

Enquanto as crises passadas desviaram a atenção das questões ambientais, é esperado que depois do COVID‑19 essa questão a longo prazo se torne um pouco mais rápida. Nos próximos anos, esperamos ver maneiras mais criativas de consertar e reciclar bens pessoais em imagens comerciais. Mesmo nestes tempos de incerteza, o escopo das imagens de sustentabilidade continuará a se expandir, oferecendo novas maneiras de imaginar a resiliência.
Dia da Terra: O meio ambiente durante o COVID-19