Videomaker, Simonkr

Destaque / Destaque Criativo
simonkr
1133992359
Alwyn Gosford
jan. 2, 2020
O videomaker Simon Krzic conversou com Alwyn Gosford, Diretor de Arte da Getty Images, sobre a sua jornada desde o começo simples de sua carreira até agora na produção dos vídeos mais complexos disponíveis para serem licenciados. Ele acredita que para continuar progredindo você precisa de várias pessoas que podem te ajudar, te desafiar e te inspirar."
[AG]: Você mora e trabalha em Ljubljana, como você descreveria a Eslovênia para alguém que nunca foi para lá?
[S]: Verde para todos os lados. Céu azul sem nuvens. Ar fresco. Neve durante o inverno, muito calor durante o verão. Você pode chegar ao topo da montanha mais alta e até as águas transparentes do Mar Adriático em apenas um dia. 2 milhões de pessoas e 212 municípios em uma área de aproximadamente 20.000 km2, o que equivale a quase o dobro do tamanho do Parque Nacional de Yellowstone. Resumindo,… todo mundo ama a Eslovênia. É um paraíso para se viver.

[AG]: Você pode me contar um pouco sobre a sua história? Como você começou a sua carreira de videomaker? Você sempre soube que era isso que queria fazer?
[S]: Meu interesse em filmar vídeos começou cedo. Aos 14 anos eu me matriculei em uma aula de vídeo na escola. Quando um representante local de TV veio nos visitar e perguntou se alguém teria interesse em trabalhar para eles, eu me candidatei imediatamente. Comecei a filmar conteúdo para o programa diário deles e continuei trabalhando como diretor em muitas transmissões ao vivo em período integral até terminar a faculdade. Também fui contratado para filmar casamentos e outros eventos de famílias. Nunca imaginei a escala de produção que fazemos hoje ou que algo tão incrível como vídeos de stock existia.

[AG]: Você tem artistas/fotógrafos/videomakers favoritos que impactaram o seu trabalho?
[S]: Steven Spielberg, Ridley Scott, George Lucas, James Cameron e Roger Deakins. Todos eles produzem perfeições visuais em todas as áreas e colocam produções no ápice da tecnologia e da imaginação humana.

[AG]: Parece que você pode filmar qualquer tema, mas você consegue pensar em um tema que seja a marca registrada do SimonKR?  
[S]: Simonkr pode ser considerado o melhor nos esportes. Acho que algumas das minhas marcas registradas são mostradas em câmera lenta com movimentos controlados, ângulos baixos e lentes de ângulo longo. Acho que isso é algo quase que imediatamente relacionado ao Simonkr.
Você ainda precisa estar preparado, mas tentamos deixar espaço caso algo inesperado aconteça e desenvolvemos estratégias diferentes para acolher essas pérolas.
[AG]: Qual foi o seu ensaio favorito, se você pudesse escolher apenas um e por quê?
[S]: Essa é uma pergunta difícil de responder. Acho que escolheria um ensaio pequeno, com duas pessoas e um ciclista. Eu peguei uma Phantom 4K Flex nas mãos e corri pela lama logo atrás de um ciclista para capturar aquele poder de um ciclista contra a natureza. Conseguimos algumas imagens incríveis, foi um ensaio tranquilo e nos divertimos muito (além de ter muita lama) em todos os momentos.

[AG]: Tem alguma imagem ou vídeo que se destaca em seu próprio arquivo como um momento que foi desafiador para ser capturado, ou que seja mais especial que os outros?
[S]: Um faz parte de um dos ensaios que acabei de contar, o outro é de um ensaio de “Robin Hood”, inspirado por Ridley Scot. É um close em câmera lenta de Robin soltando a sua flecha.

[AG]: Você tem uma equipe que te ajuda a coordenar ensaios, você pode contar como montou essa equipe e como trabalham juntos para produzir os projetos?
[S]: A minha equipe é dividida entre departamentos de produção (cenografia, estilização, localização, elenco, iluminação, câmera, técnicos digitais de imagem, etc.) Dependendo do tamanho do projeto, os departamentos podem ser compostos por apenas uma pessoa para projetos pequenos ou dezenas de pessoas para projetos grandes ou muito grandes. Em nosso ensaio recente de basquete, nosso maior projeto até agora, tivemos 307 pessoas trabalhando em nossa equipe, o que foi uma tarefa enorme que conseguimos gerenciar. Mas o fluxo de trabalho é sempre o mesmo. Começamos com a lista de vídeos, então discutimos tarefas, ideias e opiniões dos líderes de equipe, visitamos locais, mergulhamos nos temas do ensaio em níveis extremamente detalhados, desenvolvemos instruções específicas e claras para cada departamento e começamos o processo intensivo de pré‑produção. Levamos aproximadamente 2‑3 semanas para produções pequenas e uns 6 meses de trabalho intensivo para algo como o ensaio de basquete. Usamos um software de gerenciamento de projeto, mas reuniões ainda são a melhor maneira de nos comunicarmos.
[AG]: Metódico – você ainda é pego de surpresa em certos momentos?
[S]: Sempre. É impossível evitar todos os problemas.

[AG]: Qual é maior erro que você cometeu enquanto filmava e como isso mudou o que você faz dali por diante?
[S]: Planejamos todos os detalhes, mas frequentemente o que parece perfeito no papel se torna um pesadelo em cena. Você ainda precisa estar preparado, mas tentamos deixar espaço caso algo inesperado aconteça e desenvolvemos estratégias diferentes para acolher essas pérolas.

[AG]: Você tem algum tema ou apetrechos que você gosta de usar com frequência?
[S]: “Cobertura ao vivo”. Ensaios que são eventos ao vivo ao invés de algo encenado, como jogos de basquete, corridas de Fórmula 1, música ao vivo ou jogos de futebol. Capturamos momentos reais, ao vivo, autênticos em vez da produção normal de “filme”, quando você repete uma ação 25 vezes para ter a cena perfeita. Esse é um desafio muito grande para mim.

[AG]: Você é alguém que está constantemente filmando, de onde você tira as suas inspirações? Como você se mantem motivado e inspirado?
[S]: Bem, existem infinitos desafios em cada tema que você possa imaginar. Cada filmagem tem seus desafios de iluminação, escolhas de lentes, direção, etc. Você é desafiado o tempo inteiro quando está filmando. Queremos ampliar ainda mais e mais os limites das filmagens.
Junto com a equipe criativa da Getty Images, desenvolvemos outras habilidades como narrativas visuais, elenco, estilo e gramática visual.
[AG]: Como o seu trabalho evoluiu desde que você começou? Você notou alguma mudança visual ou de estilo na sua abordagem ou nos temas que você filma desde que começou?
[S]: A minha mulher e eu começamos em 2006 com uma câmera HDV, tripé e rebatedor, filmando lindas paisagens da Eslovênia, patos em lagos e até nós mesmos correndo, esquiando, segurando mãos, namorando, viajando, e tudo mais que você possa imaginar. Logo notamos que precisávamos de outro rebatedor, trilhos, guindaste e a lista se tornou interminável. Junto com a equipe criativa da Getty Images, desenvolvemos outras habilidades como narrativas visuais, elenco, estilo e gramática visual. Aprendemos mais sobre banco de vídeos pela perspectiva conceitual e ainda estamos aprendendo como esse conteúdo interage com as mudanças sociais no mundo. Passamos de filmar patos em um lago para assuntos relacionados à indústria, saúde, negócios e esportes. Tentamos encontrar conceitos mais profundos em tudo que filmamos hoje.

[AG]: O que você diria para quem está começando a entrar no processo para se tornar um videomaker profissional?
[S]: Encontre a sua paixão, a sua especialização, algo que você seja muito bom em sua própria vida e explore isso visualmente. Ouse, não se limite, nunca desista. Planeje, filme, edite, faça uploads, repita tudo de novo.

[AG]: Quando você não está trabalhando com filmagens, o que gosta de fazer?
[S]: Família em primeiro lugar. Todos nós amamos o Mar Adriático, as montanhas, somos ativos, gostamos de esquiar e fazer trilhas… ou só sair de casa para aproveitar aqueles poucos momentos que temos juntos.

[AG]: Qual é o seu próximo projeto?
[S]: Além dos ensaios de pequeno e médio porte, temos dois grandes projetos planejados para 2020, ambos relacionados a esportes. Dedos cruzados!
Fotógrafo, Klaus Vedfelt